A TARDE É BEM QUENTE. CANSADA, BONECA DE LADO, MENINA DORMINDO.

Deixando a bola e a peteca,
Com que inda há pouco brincavam,
Por causa de uma boneca,
Duas meninas brigavam.

Dizia a primeira: “É minha!”
— “É minha!” a outra gritava;
E nenhuma se continha,
Nem a boneca largava.

Quem mais sofria (coitada!)
Era a boneca. Já tinha
Toda a roupa estraçalhada,
E amarrotada a carinha.

Tanto puxaram por ela,
Que a pobre rasgou-se ao meio,
Perdendo a estopa amarela
Que lhe formava o recheio.

E, ao fim de tanta fadiga,
Voltando à bola e à peteca,
Ambas, por causa da briga,
Ficaram sem a boneca . . .

Mas a história da 4ª F foi diferente da história do poema do Olavo Bilac. Desde o início do ano, aprenderam que trabalhar em grupo é a melhor saída. Vejam a construção das bonecas de jornal…

Anúncios

O QUE QUE TEM NA SOPA DO NENÉM?

Lembram da nossa primeira festinha em 2006 no Florinda? Teve até show do RBD cover…

Vejam como vocês eram pequenininhos… ai, que saudade dos meus nenéns!

(Clique na foto que quiser ver pra ela ficar grandona)